quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Problemas de Aprendizagem - Documentário da HBO (Não sei fazer isso, mas sei fazer aquilo) - Parte I




 "Não pode haver compreensão entre a mão e o cérebro, a não ser que o coração seja mediador." (Relvas).

Neste e nos próximos dois posts serão abordado o tema " Problemas de Aprendizagem". Em cada uma das postagens será mostrado um documentário produzido pela HBO chamado "Não sei fazer isso, mas sei fazer aquilo" (I can´t do this, but I can do that) que mostra depoimentos de crianças que apresentam dificuldades de aprendizagem.


Antes de apertar o play para assistir os vídeos, leve em consideração o sentimento de cada criança e como elas superam a dificuldade dia-a-dia.



Documentário: Não sei fazer isso, mas sei fazer aquilo.Clique aqui para assistir - Parte 1




Nesse primeiro vídeo é abordado especialmente a Dislexia através dos relatos de uma menina de 9 anos (chamada Abbey) que convive com o problema.

Abbey descreve muito bem sua dificuldade:
" Ler e escrever são coisas que eu não sou muito boa. (...) Eu via as outras crianças explicando rápido, resolvendo problemas e eu ainda estava no primeiro. (...) Tudo era do jeito que eles aprendem e não do jeito que eu aprendo."

A palavra dislexia vem do grego. Dis- dificuldade e Lexia - linguagem. Portanto, entende-se que Dislexia seja uma dificuldade na aquisição da linguagem.

A Dislexia é a dificuldade de aprendizagem mais citada e divulgada. Por isso, deve-se tomar muito cuidado com as definições, pois muitas acabam sendo simplistas e tachativas.
É muito comum falarem que o disléxico troca as letras, o que é uma afirmação parcialmente errônea. O que acontece é a dificuldade em decifrar códigos, sendo as letras um deles. Portanto, se eles invertem as letras, é por que não conseguem diferenciar uma letra da outra ou as sílabas. Em linhas gerais, a criança tem dificuldade em decodificar os sons linguísticos, assim, ela lê uma informação, mas  não armazena e nem decodifica o sentido. Na escrita faz apenas aproximações semânticas
Vale a pena ressaltar que o problema não tem haver com má alfabetização, questões sócioeconômicas ou fatores psicológicos. Na realidade a dislexia tem base neurológica e carácter genético significativo.

Quanto ao tratamento, é importante salientar que  o problema deve ser tratado o quanto antes, pois através de métodos desenvolvidos por equipe multidisciplinar (que envolvem a escola, a psicologia, neuropsicologia e fonoaudiologia) a criança desenvolverá
 métodos próprios de aprendizagem. Com o tempo o cérebro tende a se adaptar àquela nova maneira de aprender e o aluno passa seguir o curso normal de aprendizagem.

O documentário mostra a diferença de discurso de Abbey antes e depois do tratamento.
"Eu odiava ler, porque não sabia e isso se tornou uma chatice. Agora adoro livros e a cada dia tenho confiança em mim mesmo..."

Assim notamos que o  tratamento certo faz com que a criança aprenda e se desenvolva intelectualmente. O ponto de partida é a aceitação do problema e o acompanhamento educacional adequado.



Deixo aqui o vídeo na íntegra para quem quiser assistir inteiro:


Ana Paula Miessi Sanches (Psicóloga)





4 comentários:

  1. Tenho um namorado que tem dislexia, sempre busco compreender as limitações dele, e as vezes não é facil, sentir empatia por uma coisa que não compreendo. coisas que pra min são simples pra são complexas pra ele, e isso é frustante para ambos ,sinto que exijo demais dele as vezes. E gostaria de agradecer por este post ,pois assim pude entender um pouco mais, sobre o ''mundo'' dele

    ResponderExcluir
  2. É muito comum isso acontecer, Tamyris. Dificil se colocar no lugar do outro quando a nossa maneira de funcionar é diferente. Que bom que gostou do post, o video é excelente para entender o problema, mesmo quando a pessoa não é mais criança.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Dentro da programação da HBO, podemos encontrar os melhores e novos documentarios da história como ela é Guerras alheias, que apresenta a realidade da situação dos camponeses na Colômbia pelo perigoso pulverização de um herbicida que produz câncer.

    ResponderExcluir